BLOG

Relato de Parto – Monica

Categoria: Relatos de Parto HB |

Esse relato de parto já está na mídia!!

Desde o dia 03 de maio de 2018 está no site/blog da Mônica Benini que escolheu compartilhar as informações sobre a jornada de sua família para inspirar mais pessoas, mais famílias… está lindo, VERDADEIRO, tem fotos lindas e vale muito a pena conferir!

A seguir apenas alguns trechos e no final, o link para acessarem diretamente o relato todo que faz menção ao uso do método <3

 

“Os primeiros passos da nossa dança aconteceram num sábado nublado, às 6:30 da manhã, dia 30 de setembro de 2017. Acordei com uma dor que se repetiu depois de 4 minutos… e depois de mais 3 minutos e meio, e assim seguiu. Mal podia acreditar que era meu corpo e meu bebê anunciando que estávamos prestes a nos conhecer. E era, realmente era. Avisamos nossa equipe e tomamos um gostoso, feliz e demorado café na cama. Lembro de ter começado o dia meditando, repetindo aquele “mantra” (uma meditação guiada pela voz do amor da minha vida, que foi das ferramentas mais fortes durante meu preparo, na maior parte da gestação). Meditei para me conectar ainda mais com meu bebê e com as contrações poderosas que tomavam conta de mim. Preparamos a casa, preparamos o ninho para a festa que estava por começar.

Digo festa porque, para mim, o nascimento do meu filho sempre foi motivo de comemoração. Flores, balões, velas, música, recados escritos em pedaços de papel, para eu ler durante o trabalho de parto… tatame, piscina, tecido, bola de pilates, todo o arsenal que eu percebi, durante a gestação, que faria sentido estar comigo naquele momento.

(…)

Eu sempre ponderei muito sobre meu parto, sobre como eu gostaria que meu filho chegasse ao mundo e minha maior vontade sempre foi a de me permitir escutar totalmente meu corpo. Assim foi. As últimas contrações foram sentidas em um banquinho, um aparato próprio para partos naturais. E assim, sentada, com meu marido abraçado em minhas costas, pude viver o momento mais inexplicável da minha vida. Entendi o significado do tal círculo de fogo assim que meu bebê coroou. Como dói, queima. E em mais uma contração ele estava em meus, em nossos braços. Eu, completamente exaurida, porém tomada pela melhor sensação desse universo, não conseguia acreditar no que estava acontecendo. Ele nasceu em nosso quarto, em frente à nossa cama, depois de 33 vigorosas horas… e foi para nossa cama que “escorregamos” com o Otto em nossos braços. Permanecemos assim por muito tempo, ele aninhado em meu peito, e o papai, que também acabara de renascer, nos abraçando. Nossa família, forte, unida, exalando amor. E eu inundada por ocitocina. Demoramos quase uma hora para que, então, o papai cortasse o cordão umbilical, mas o cordão que nos uniu (mais ainda) naqueles dois dias jamais será cortado. Eu mal consegui chorar, mas meu peito fervilhava. Já naquele momento entendi perfeitamente que uma nova versão de mim nascera, muito mais forte, confiante e plena. É inacreditável o tamanho da força que brota depois de uma “prova”dessas. Eu serei eternamente grata a mim mesma por ter encarado tudo com tanta vontade e entrega, ao meu marido, por ter elevado a minha força a todo instante, à minha equipe maravilhosa, extremamente competente e sorridente, às nossas famílias, por terem respeitado e acolhido nossas escolhas, e ao meu filho, por ter entrado nessa dança com a coreografia totalmente coordenada à minha. E assim seguiremos. Eternamente.”

 

Relato de parto da Monica Benini na íntegra – vale a pena ler!!

Relato de parto escrito por Monica quase 6 meses
após o nascimento do filho Otto…
Monica e Junior (e Otto) fizeram o curso
de HypnoBirthing no formato particular
e praticaram desde o segundo trimestre
da gestação <3



Deixe um comentário

Relato de Parto – Samanta

Categoria: Relatos de Parto HB |

Relato de parto que recebi depois de 4 meses que o bebezinho Arthur decidiu nascer… e que, apesar das circunstâncias especiais, foi recebido com muita tranquilidade e amor <3

 

Durante a gravidez, eu e o Leonardo (meu marido) procuramos nos informar sobre parto, assistimos vídeos, lemos livros e participamos de várias reuniões em grupos de gestantes… E a cada dia que passava nós tínhamos a certeza de que queríamos um parto humanizado, onde nossas escolhas seriam respeitadas e principalmente as decisões sobre o andamento do parto seriam tomadas com base em evidências científicas, sempre procurando o melhor para mim e para o meu filho… Foi um pouco difícil encontrar uma obstetra humanizada que fizesse o parto no hospital que o meu plano de saúde cobria, mas depois de um tempo eu finalmente encontrei e adorei a médica, Dra Andrea Campos.

Mais ou menos no meio da gestação chegamos a conclusão que queríamos um parto natural, sem nenhuma intervenção, sem ocitocina, sem anestesia, nada… No último trimestre conheci o HypnoBirthing, que mostrava pessoas não tinham dor durante o trabalho de parto, e para ser sincera pareceu uma técnica boa demais para ser verdade… Resolvemos fazer o curso de HypnoBirthing como uma ferramenta para atingir o nosso objetivo, o parto natural…

Três dias antes do início do curso a Dra Andrea, me informou que o hospital que a gente estava planejando fazer o parto tinha cancelado o cadastro dela, por questões burocráticas. Eu fiquei sem chão: eu estava com 33 semanas e 5 dias de gestação e meu plano cobria um hospital que a médica que me acompanhou  a gestação toda não podia mais trabalhar…

Chegou o fim de semana e nós fizemos o curso, intensivo. Foi bem intenso mesmo e muito bom… O curso e as técnicas do HypnoBirthing não poderiam nos surpreender mais! Não se trata apenas de uma técnica de relaxamento, é muito mais que isso! E saímos do curso muito mais confiantes nas nossas escolhas, mais confiantes na nossa capacidade de ter o parto natural que havíamos escolhido… ele mudou a forma como víamos a gestação e o parto e principalmente nos acalmou com relação ao nosso parto: nós passamos a nos sentir preparados inclusive para o parto domiciliar, como uma ótima alternativa ao fato da nossa médica não poder nos acompanhar no hospital conveniado. Quando começamos o curso estávamos bem inseguros e ao término, éramos outro casal… Depois de alguns dias, o hospital renovou o cadastro da minha obstetra e ficamos mais confortáveis com tudo, embora ainda pensando no parto domiciliar como uma boa opção para o nascimento do nosso bebê…

Não sei porque mas na minha cabeça o Arthur ia nascer com 40-41 semanas…  realmente é mais provável nascer nesse período, mas não foi o que aconteceu… Com 36 semanas e 4 dias, eu fui almoçar na casa da minha irmã,  e quando estava saindo da casa dela percebi a liberação da bolsa das águas (rompimento da bolsa)… fiquei meio na dúvida se isso tinha mesmo acontecido, então voltei para o trabalho, pois tinha um monte de coisas para encaminhar antes da minha saída. Enquanto eu passava as pendências para  o pessoal do trabalho, entrei em contato com a Lucia DeJu (minha doula) e com a Natalia Rea (obstetriz). Eu estava muito tranquila e serena, mas não posso dizer o mesmo do pessoal que trabalha comigo: todo mundo ficou desesperado quando eu falei que achava que a havia liberado a bolsa das águas. As pessoas não entendiam como eu podia estar tão tranquila, mas eu tinha certeza que esse era um dos resultados do HypnoBirthing… tentei entrar em contato com o Léo, mas o celular dele estava sem bateria (só caia na caixa postal); liguei no trabalho dele mas ele não estava na sala no momento,  então pedi para que avisassem que eu estava procurando-o,  e para ele me ligar assim que possível… A Dra Andrea,  me sugeriu fazer um exame para comprovar se eu havia liberado a bolsa das águas mesmo; liguei para a minha irmã e pedi para ela me encontrar no laboratório. O resultado confirmou o que eu suspeitava e finalmente consegui falar com o Léo e avisá-lo de que eu estava indo para a maternidade (nesse caso, o parto domiciliar não é mais viável mesmo)… Como eu teoricamente tinha mais um mês até o nascimento do Arthur, não tinha a mala da maternidade pronta e o Léo teve que passar em casa para arrumar as coisas e só depois ir me encontrar no hospital. Nós só pudemos praticar as técnicas do HypnoBirthing por duas semanas, mas mesmo assim utilizamos as técnicas durante todo o trabalho de parto. Um fator que nos ajudou muito foi que a nossa instrutora de HypnoBirthing (Lucia DeJu) também era a nossa doula 💕 e dessa forma, quando a gente esquecia de usar as técnicas, ela nos ajudava a retomá-las e tudo voltava aos trilhos novamente.

Desde o início o parto foi diferente do planejado, mas nós mantivemos nossa tranquilidade durante todo o processo! Essa tranquilidade e segurança nós conseguimos graças ao HypnoBirthing… Quando cheguei na maternidade no início da noite, eu estava com 1 cm de abertura do colo (dilatação), que ainda estava grosso; então a Dra Andrea decidiu induzir o parto com ocitocina sintética… primeiro chegou a Natalia, depois o Léo e depois a Lucia… O trabalho de parto foi evoluindo ao longo da noite e madrugada e as ondas vinham e iam… não posso dizer que elas eram indolores, mas eram surpreendentemente suportáveis, considerando a minha condição e a indução… eu lembro de ter chegado a 7cm de abertura mas fiquei um tempão com essa mesma abertura então a médica achou melhor acionar o restante da equipe preventivamente; de repente chegou um monte de gente de uma vez: a obstetra (que só não chegou antes porque ficou presa no elevador do prédio dela, enquanto tentava ir para o hospital),  uma médica auxiliar e o anestesista. A Dra Andrea recomendou analgesia, e sob o efeito dela realizou algumas manipulações no colo do meu útero; cheguei então a 9cm de abertura… mas o Arthur não avançou na descida, eu comecei a ter febre e os batimentos cardíacos do pequeno indicaram que o processo não estava legal para ele… Então foi necessário fazer uma cesariana… bem diferente do parto natural que tínhamos em mente, mas naquele momento nós tínhamos certeza de que aquela era a melhor opção para mim e para o meu filho, uma vez que fizemos o melhor que podíamos e confiávamos muito na equipe que nos acompanhava! Portanto, durante toda a cirurgia, também nos mantivemos calmos e tranquilos.

           Uma outra coisa interessante do uso das técnicas é que o Leonardo leu o Relaxamento do Arco-íris para mim nas duas semanas que tivemos após o curso e depois que o Arthur nasceu, ao ouvir a voz do pai ele sempre se acalmava, relaxava… e como na nossa primeira saída de carro o Arthur chorou muito no trajeto, nós colocamos a gravação do Relaxamento do Arco-íris (gravado pelo Léo) para ele ouvir e em pouco tempo o Arthur se acalmou e dormiu! Nós aprendemos no curso que o bebê pode associar a sensação de relaxamento que eu sentia ao praticar a técnica com a voz e a condução do Relaxamento e foi muito bom testar! Até hoje eu utilizo as técnicas de respiração do HypnoBirthing para o relaxamento… e sempre indico o curso para as mulheres (grávidas ou não)! Porque é possível ter um parto tranquilo e o HypnoBirthing me proporcionou isso.

Relato de parto escrito por uma mãe HypnoBirthing,

provando que esse momento pode ser tranquilo e gentil

independente de ser diferente do imaginado…

independente de ser uma cirurgia!

*E que praticar por 2 semanas já vale a pena!



Deixe um comentário

Vídeo do Nascimento de Jude 2014

Categoria: Vídeos de Parto HB |

Vídeo lindo de um parto inspirador… muita tranquilidade e conexão em cada imagem deste parto hospitalar que ocorreu em fevereiro de 2014 em Worcestershire, Inglaterra.
Parabéns para a família unida! Parabéns para a mãe que se entregou ao seu parto e deixou fluir o parto e o nascimento do seu bebê Jude <3

Assista:
My Wonderful HypnoBirth experience – The Mongan Method



Deixe um comentário

Por que se livrar dos medos antes do parto?

Categoria: Conhecendo mais o método HB |

Você tem medo do parto? Medo da famosa dor do parto? Medo de não conseguir? Medo de ser arriscado para você ou para o bebê? Medo de algo dar errado? Medo de se frustrar?

Esses (e muitos outros) são medos bastante comuns na nossa sociedade… infelizmente, ouvimos muitas histórias tristes e assustadoras sobre o parto (e a gestação, e a maternidade, e etc) ao longo da nossa história… e adivinha? Essas histórias geram medo! Muito medo, diversos medos… e qual é o problema disso?

Todo medo é um pensamento limitante! Limita a sua confiança, a sua segurança, suas atitudes, suas escolhas e por fim, a sua experiência positiva… e no parto, isso faz muita muita diferença e agora está provado (através de um estudo científico) que o medo do parto ou da experiência, do evento, de amamentar, de maternar e etc., prolonga o trabalho de parto da mulher =(

Confira no estudo do link abaixo:

Medo influencia a duração do trabalho de parto

Não vale a pena levar os medos para o parto! O ideal é se livrar deles todos antes do parto! E o HypnoBirthing é um método muito eficiente para conseguir isso 😉



Deixe um comentário

Vídeo de Parto Angu 2015

Categoria: Vídeos de Parto HB |

Vídeo curtinho de um parto curtinho e… lindo!!
Família unida e parto tranquilo… gentileza e amor nesse parto domiciliar inspirador que ocorreu na Austrália em 2015 😉

 

Angu’s Home HypnoBirthing

 

 



Deixe um comentário

Base científica para utilização das técnicas

Categoria: Conhecendo mais o método HB |

E para quem gosta de verificar os benefícios relatados com estudos científicos, segue o link de uma boa listinha deles… tem mais, em breve atualizo 😉

 

Estudos Científicos HypnoBirthing



Deixe um comentário

Vídeo de Parto – Christina Pia 2013

Categoria: Vídeos de Parto HB |

Registro de um parto hospitalar, rápido e tranquilo com HypnoBirthing =-)

Descrições importantes, em breve traduzidas! Clique no link abaixo para assistir:

Christina Pia – registro do parto



Deixe um comentário

Vídeo de Parto HypnoBirthing Domiciliar- Aline 2008

Categoria: Vídeos de Parto HB |

Registro de um mais um parto tranquilo e consciente com HypnoBirthing 😉

Este foi em casa e aconteceu com a presença da família, em 2008… clique no link abaixo para assistir:

Parto HypnoBirthing Aline 2008

 

 



Deixe um comentário

Relato de Parto – ML

Categoria: Relatos de Parto HB |

 Relato de parto lindo, escrito e recebido 3 semanas após o nascimento da caçula, Elisa Sophia =)

O parto foi muito especial e ainda mais rápido do que a gente imaginava, mas vou contar do começo!

Acordei no dia 23 já sentindo algumas ondas; não muito intensas e nem regulares, mas mesmo assim eu sentia que elas eram diferentes dos outros dias. Sabendo que muito provavelmente este seria o dia que nossa pequena havia escolhido para vir ao mundo, eu passei o dia fazendo as últimas tarefas de casa, cozinhando e dormindo. Às quatro da tarde eu tinha uma consulta marcada e fui à minha ginecologista. Eu contei o que estava sentindo e resolvemos fazer um exame de toque. Descobrimos que eu já estava com 4 centímetros de abertura! No caminho pra casa eu liguei para minha sogra pra vir buscar a Leah (filha mais velha) e para a Casa de Parto para avisar que provavelmente​ iríamos nos ver nos próximos horas.

De volta em casa arrumamos a mala da nossa filhinha, comemos, tomamos banho. Tudo com muita paz e segurança no coração. As ondas ficaram mais intensas e as 17 horas saímos para a Casa de Parto. É óbvio que a Elisa escolheu o horário de pico pra vir! rs. Demoramos uma hora até a Casa de Parto (Sapopemba), mas isso foi ótimo pra mim. Eu escutava os relaxamentos com os fones de ouvido e consegui entrar na minha zona de relaxamento completamente. As ondas passavam, eu respirava e imaginava o colo do meu útero abrindo.

 

 

Ao chegar na Casa de Parto, fomos para a triagem. Eu tirei os fones de ouvido mas mesmo assim consegui manter o mesmo espírito calmo e seguro. A triagem foi um momento crítico pra mim. A enfermeira fez o exame de toque, mediu as ondas e nos informou: que eu ainda estava com quatro centímetros de abertura e que as ondas que eu estava sentindo ainda não eram “fortes o suficiente”. Ela achava que “nada iria acontecer nas próximas duas, três horas”. Até por isso, eu não foi internada, meramente me colocaram na sala de observação. Como minha pressão estava um pouco alta a enfermeira me pediu para ficar deitada pra tentar abaixar a pressão e ver “se iria pra frente ou não”.

 

 

Eu estava tão segura em relação ao que eu estava sentindo, tão confiante, que nada disso sequer entrou na minha cabeça. Eu sabia que a minha bebê estava vindo!

 

 

Ao chegar no quarto o Bruno (marido) instalou o abajur que tínhamos trazido e o laptop com as relaxamentos. Eu deitei na cama e fiz o que a enfermeira pediu: tentei relaxar para abaixar a pressão. Isso era mais ou menos as 19h30. Como era o horário de troca de turno na Casa de Parto, as novas enfermeiras entraram para falar com a gente. O Bruno pediu para conversarem do lado de fora do quarto e combinou com elas que iríamos chamar caso fosse preciso.

As ondas ficaram cada vez mais intensas e frequentes. O Bruno estava fazendo a massagem de toque leve e eu fiquei de olhos fechados, respirando e me focando no relaxamento… até que chegou um momento em que eu não aguentava mais ficar deitada. Me levantei e apoiei os antebraços na cama, pedindo para o Bruno de massagear o meu Cóccix/costas. Depois de mais duas ondas eu, seguindo meu instinto, me abaixei na posição de quatro apoios. Eu fiquei muito confusa quando me deu uma vontade de empurrar (a final de contas, eu estava apenas na observação?!). Realmente não tem como não empurrar e assim respirei e na onda seguinte, a bolsa rompeu. Na outra onda já senti a cabeça da bebê saindo e gritei que ela estava nascendo. As enfermeiras ouviram meu grito e entraram no quarto correndo. Elas realmente estavam tão surpresas quanto eu, quando viram que a cabeça da bebê já tinha saído; mas ficaram muito calmas e só apoiaram a cabeça da bebê para aguardar a próxima onda. E assim, a nossa pequena Elisa Sophia nasceu as 20:19. Foram 45 minutos depois de entrar no quarto e sem nenhuma dificuldade. 52 cm e 3620 g de perfeição.

 

E tudo isso só foi tão perfeito por você e o trabalho maravilhoso que você faz. O Bruno foi o melhor “gorila”, sempre mantendo a calma e protegendo nosso espaço; a equipe da Casa de Parto respeitou totalmente nosso pedido de privacidade e confiou na gente sem questionamentos.

 

 

Mas sem o conhecimento e a segurança e confiança que você passou pra nós nas poucas horas que tivemos juntos nada disso seria possível.
Viva o HypnoBirthing! 🙂

Mira, Bruno, Leah e Elisa


Deixe um comentário

Relato de Parto – MG

Categoria: Relatos de Parto HB |
Quase 6 meses após o nascimento do filho lindo Benjamin, Marina escreveu para me “agradecer imensamente por todo o trabalho com o HypnoBirthing”. Ela disse no email: “Ele ajudou muito minha cesárea de emergência continuar sendo a experiência maravilhosa que é o nascimento. Então vim aqui te escrever o relato do meu parto”. Então eu tinha que compartilhar, né?! Porque parto HypnoBirthing é o melhor parto possível! Para aquela mãe, para aquele bebê, para aquela família, naquele momento… não necessariamente parto natural, mas sim, parto respeitoso, tranquilo e consciente! Com as versáteis técnicas sendo aplicadas por pessoas flexíveis, nas mais variadas situações <3
Segue o relato da Marina então:
O Benjamin nasceu de exatas 41 semanas, dia 7 de novembro. Minha família estava tensa, achando que ele estava atrasado, mas eu mantive a calma. Até que chegou uma noite que eu, ansiosa com a preocupação deles, não dormi. Desci pra sala e fiquei no sofá. Logo com o amanhecer, comecei a sentir algumas ondas, que eu achava que eram de treinamento, ficarem mais fortes e ritmadas, mas bem rápido. Elas logo já estavam em 5 em 5 minutos. Levantei para fazer xixi e saiu o tampão. Então resolvi caminhar um pouco no quintal e a bolsa estorou.
Eu achava que era a bolsa, mas fiquei na dúvida, pois apesar da quantidade de líquidos, ele era muito muito escuro, um amarelo esverdeado. Mandei uma mensagem para a minha obstetra e fui tomar um banho. O líquido não parava de sair, então fiquei um bom tempo no banho. As ondas ficaram super intensas, saí do banho e sentei na bola de pilates. O Gian foi fazendo massagem e me ajudando nas respirações. Mandamos uma foto da cor do líquido para a minha obstetra e falei que as ondas eram bem ritmadas, já de 3 em 3 minutos e ela falou que era para eu correr para o hospital.
O carro foi uma aventura em si. A cada buraco no asfalta eu gritava e pedia para o Gian parar. Parecia uma comédia romântica. Cheguei na emergência e as enfermerias foram gritando “Mulher em Trabalho de Parto!”, não demorou nada, nada. Eu pensava nas respirações e ficava calma, apesar da dor, que ficou muito forte com o carro.
Eu achei todo mundo calmo, depois que o Gian me falou que as enfermeiras olharam e conversaram tensas, ao ver que o líquido tinha bastante mecônio. Quando me obstetra chegou, ela bem calma me explicou que o líquido estava muito escuro, mas que eu já tinha 4 centímetros de dilatação e dava para esperar meia hora ver se ela aumentava, que muitas vezes isso acontecia. Nesse meio tempo, os batimentos do bebê começaram a diminuir a cada contração. Ela voltou e conversou comigo, contou do parto dela e o quanto ela queria um parto normal, mas foi surpreendida por uma cesárea no seu primeiro filho, que entendia se eu estivesse triste com isso. E pediu para eu decidir se queria esperar mais. Eu e o Gian conversamos e achamos que não valia arriscar.
Fomos logo para a sala de cirurgia, que tinha música e apesar de todos estarem um pouco tensos, mantiveram o bom humor e a calma. Fui fazendo as vizualizações e o relaxamento. As assistentes eram da família da minha obstetra e muito carinhosas. Benjamin chegou ao mundo 10 minutos depois chorando bastante e imundo de cocô! Ele veio, mesmo sujo, direto para o meu colo, nos abraçamos, ele se acalmou e foi levado para ser examinado, pois a coisa estava, literalmente, preta, hahahaha. E depois ele voltou pra mim e já começou a mamar!
Foi muito, muito lindo e eu tenho muito a agradecer ao HypnoBirthing, pois mesmo em uma situação de emergência, eu mantive a calma, a alegria com a chegada do meu pequeno e não relembro da experiência de maneira nenhuma como traumática, apenas como maravilhosa.
É engraçado, muita gente, quando eu conto que tive que fazer uma cesárea, quase que desvaloriza o meu parto e por um momento, confesso, elas quase conseguiram me convencer e me deixar abater com o preconceito delas. E neste ponto o HypnoBirthing também me ajudou, pois eu sabia o que era ou não natural acontecer.
Quis te escrever também pois sei que esse é um relato bem diferente dos de parto natural e mostra a importância de nos despirmos do medo, mas ao mesmo tempo estarmos abertos e preparados para o que vier. Um beijo grande e mais uma vez obrigada, fazer o HypnoBirthing foi muito maravilhoso pra mim.
Marina, mãezona do amado Benjamin.
Fez o curso de Preparação para o Parto HB em Setembro de 2016.


Deixe um comentário