BLOG

Relato de Parto – FC

Categoria: Relatos de Parto HB |

“Pari um bebê. Pari uma nova vida”
Desde que entrei para a partolandia li relatos de parto aos montes, chorei com histórias de mulheres que nunca vou conhecer, fiquei triste pelo fracasso de estranhas e feliz pela força e determinação de tantas outras, ahh essa leitura com certeza agregou muita coisa para o nascimento do Bruno e, não só pelos conhecimentos médicos mas, principalmente, pelas emoções e sentimentos que carregavam cada uma delas, assim cada dia mais eu queria ter o ‘meu relato de parto’ para ajudar tantas outras Fês que estão por vir…e aqui 
vai ele: o relato de um parto ‘relativamente’ fácil, o MEU!
A humanização do nascimento se tornou uma realidade na minha vida em 2012 quando para acompanhar o nascimento do meu sobrinho-afilhado fiz o curso de formação de Doulas no GAMA, minha irmã iria parir seu segundo filho, e queria que eu fosse sua doula. Durante o curso e imersa no mundo dos bebês, perdi meu primeiro filho, numa gestação de 9 semanas, foi um baque, mas mesmo com as cólicas e emocional abalado, me formei e fiquei encantada pelo fantástico mundo dos bebês naturalmente nascidos!
Minha irmã pariu lindamente na água e comigo de ajudante ganhei a presença no que, até então, foi o melhor momento da minha vida, ironicamente um mês após a minha ‘pior perda’, ver aquele serzinho tão lindo nascer ali, na água, na minha frente com certeza foi uma das coisas mais felizes que já me acontecera. 
Depois daquela perda ainda tive mais duas sofridas batalinhas a enfrentar, que infelizmente não ‘vingaram’ e o ‘não era pra ser’ virou um mantra da minha vida. 
Em 2013 meu marido e eu, focados em realizar nosso sonho, mergulhamos de cabeça na busca para saber o que estava por trás dos 3 abortos. Depois de uma bateria de exames, tivemos um diagnóstico não fechado e até hoje duvidoso, de SAAF (síndrome anticorpos antifosfolipede). Também em 2013, tive o prazer de doular uma pessoa muito especial e, em um parto domiciliar, a forte e guerreira Camila Lippel, pariu seu Mateus, cheios de luz, na casa da sogra, confiante apesar das dúvidas e inseguranças da família, somente ela, o marido, a sabedoria da parteira (Ana Cris) e eu! Eu gente! Eu de novo fiquei cheirando ocitocina por dias, com sorriso no rosto tive o melhor dezembro da vida! E claro ganhei mais experiência no assunto.
No meio de 2014 fomos liberados e denominados ‘tentantes’ com a condição de que, assim que sair o positivo, eu aplicaria uma injeção de anticoagulante diariamente até a data do parto – Clexane 40mg, mais uma batalha a encarar, mas quando o desejo é grande todos os contratempos vão ficando pequenos.
Em 26.12.2014 recebi meu esperado positivo e apesar de tanta insegurança senti que daquela vez seria diferente, e foi.
Nem nos meus melhores sonhos eu teria uma gravidez tão perfeita e tranquila, não tive um enjoo, não inchei, não tive gripe, não precisei tomar um só remédio, e o melhor: meu bebê estava se desenvolvendo maravilhosamente bem.
Fiz yoga e caminhada até ultima semana, conselho número 1: pratique yoga, pra mim foi a preparação mais importante dos 9 meses, tenho total consciência que foi ela quem abriu minha bacia e minha pelve facilitando a passagem do Bruno.
E aqui já vai o conselho número 2: pratique meditação, eu e meu marido fizemos o incrível curso Hypnobirth Brasil, para mim foram as técnicas de meditação que em muitas horas me fizeram parar e respirar, dando um basta em tantas inseguranças que surgem e me deram confiança pra ir em frente, para meu marido o curso foi extremamente importante para saber as etapas de um parto e não se desesperar a medida em que as dores e sensações iam avançando, ao final do curso ele estava dando ‘aula’ de parto para os desinformados do assunto hehehe! 
Conselho número 3: faça o epi-no, comecei na 34a semana, é chato, dói no começo, é desafiador, desanimador mas é de tamanha importância para seu parto ser um sucesso! Teve dias que pratiquei duas vezes, fui dedicada e persistente cheguei ao máximo e o resultado foi um períneo íntegro e uma recuperação muito menos dolorosa, vai por mim.
Completei 40 semanas dia 03.09, no dia 01.09 passei na última consulta e descobri que já estava com 3 de dilatação colo médio, mas nada, nadinha nem sinal de contração e, por causa do uso do Clexane a Dra não queria deixar passar de 41 semanas. Portanto, se até 09.09 não desse sinal de nascer teríamos que tentar a indução. Focada em ajudar o Bruno nascer mais naturalmente possível, voltei pra casa e fiz vários exercícios de yoga, andei de patos, agachei pela casa toda, fiquei sentada na bola dias e noites, meditei, respirei e não pirei.
Na sexta-feira 04.09 retornei ao consultório e novo toque, quase 5 de dilatação.
Naquela noite tomei chá bem forte de canela, acordei às 06:30 da manhã pra conversar com a Lua (que mudaria nesse horário para minguante) e voltei a dormir normalmente.
Acordei às 08 hs disposta a parir, sentei na bola e senti a primeira contração da minha vida! Tão aguardada, não achei nada de absurdamente dolorosa, acordei meu marido e mandei mensagem pra minha irmã-doula informando que as contrações tinham iniciado, eram 08:40 do sábado 05.09, ela foi para minha casa e as contrações foram aumentando gradativamente, fomos para o chuveiro, massagem, segura forte, agaaaaaaaachaaa, bola, até que quando elas estavam intervaladas entre 3-4 minutos ligamos para a parteira, a ideia seria a parteira vir em casa e medir a dilatação, mas por causa do avanço das contrações achamos prudente ela e a médica nos encontrar direto no hospital! Com contrações bem fortes, chegamos no hospital as 11 horas e mais um toque detectou: 7 cm de dilatação! Quase impossível de tanta dor fazer o cardioto por causa do meu decúbito, subimos correndo para a tão esperada banheira, o que pra mim foi decepção, por causa do tamanho e formato(retangular) não consegui achar posição legal, sai da banheira e vai para o chuveiro, ufa melhor assim, o Chuveirinho com jato direto no períneo aliviou muito a dor que era concentrada no baixo ventre, ao contrário de muitas mulheres, a contração não trouxe dor na lombar (acho que por causa das posturas da yoga). Eu pedia muita água, muita água gelada eu queria, chegou almoço não quis nem olhar, minha irmã me deu melzinho para chupar, foi ótimo, deu energia. 
Quando foi 12 e pouco a parteira e a médica decidiram ir almoçar, mais contrações, mais força, mais chuveiro. Decidimos sair e sentar na bola, nesse momento veio uma contração forte e num reflexo corri e fiquei de quatro em cima de um sofá, nesse momento fiquei na posição do ‘gato’, havia feito durante toda a gestação nas aulas de yoga, respira, inspira e BUM! Num estouro delicioso, sinto um líquido quente sair de dentro de mim e lavar o quarto. As 13:35 Estourou a bolsa! Uma delicia de sensação, não consigo descrever o quanto bom foi aquilo. Levantei novamente, agora com muita vontade de evacuar, corri para a privada mas uma contração forte me fez levantar e correr para o chuveiro, meu marido ligou para a médica, que não deu muita bola, afinal, estourar a bolsa não era sinal de transição para a o expulsivo…não? No meu caso era sim! Seguida pela intuição a médica subiu correndo, e quase sem conseguir colocar a segunda luva, Bruno já estava coroado, lindo saindo devagarinho de dentro de mim, antes disso corri para o banquinho de parto, com meu marido apoiando meus braços tive vontade de fazer força, uma força gostosa, me senti poderosa e com uma sensação de felicidade plena, as 13:40 daquele sábado 05.09, peguei nos braços meu tão esperado Bruninho! Lindo, cheio de vida, sua pele quente e molhadinha encostada na minha, seu cheirinho, sua perfeição! O mundo parou mesmo naquele instante e eu enfim descobri o amor, um sentimento gigante que nem de longe eu tinha sentido antes, e agora eu sei o que sempre me falavam: você vai entender quando for mãe, sim entendi, entendi tudo, entendi porque lutei tanto sem saber o que viria em seguida e agora sei, sei que veio meu melhor e a parte mais importante de mim! 
Para tudo ter sido 100%perfeito: tive o maravilhoso apoio do meu marido, bancou comigo todo o processo, me estimulou a ir em frente quando fiquei insegura, me consolou nas 3 quedas, sempre forte ele tinha certeza que um dia daria certo, e deu! Me elogiou todos os dias durante os 9 meses, me deixou segura de Todas as nossas escolhas! Te amo ainda mais por tudo que você fez e faz por nós! 
Ahh e a minha sempre eterna companheira, minha ídola, ela que me abriu as portas pra tudo isso, ela que me escancarou as janelas do seu coração e me deu carinho, me deu conhecimento, me incentivou a cada minuto antes, durante e depois do parto, me deu seus braços para apertar, me deu sua calma, me deu sua fortaleza, esse ser iluminado que tenho o prazer de chamar de Irmã! Obrigada meu grande amor, hoje te admiro ainda mais que ontem mas não mais que amanhã! Hehehe
Ahh e Meu último conselho para seu PN ser um sucesso: queira muito ele, mas queira de verdade, de dentro do coração e nada poderá te barrar. Como diria Raulzito “basta ser sincero e desejar profundo, você será capaz de sacudir o mundo”.
Com amor
Fê Cantini
Ps. Amiga leitora desse relato se você tiver qualquer dúvida, angústia ou receio é achar que posso te ajudar, me escreva: fecantini@hotmail.com ficarei muito feliz em ajudar!

 

Relato de parto escrito por FC, mãe do Bruno, que

participou da turma de Preparação para o Parto HypnoBirthing

em Maio de 2015 e teve seu desejado parto natural

no hospital em Setembro de 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *