BLOG

Relato de Parto – ML

Categoria: Relatos de Parto HB |

 Relato de parto lindo, escrito e recebido 3 semanas após o nascimento da caçula, Elisa Sophia =)

O parto foi muito especial e ainda mais rápido do que a gente imaginava, mas vou contar do começo!

Acordei no dia 23 já sentindo algumas ondas; não muito intensas e nem regulares, mas mesmo assim eu sentia que elas eram diferentes dos outros dias. Sabendo que muito provavelmente este seria o dia que nossa pequena havia escolhido para vir ao mundo, eu passei o dia fazendo as últimas tarefas de casa, cozinhando e dormindo. Às quatro da tarde eu tinha uma consulta marcada e fui à minha ginecologista. Eu contei o que estava sentindo e resolvemos fazer um exame de toque. Descobrimos que eu já estava com 4 centímetros de abertura! No caminho pra casa eu liguei para minha sogra pra vir buscar a Leah (filha mais velha) e para a Casa de Parto para avisar que provavelmente​ iríamos nos ver nos próximos horas.

De volta em casa arrumamos a mala da nossa filhinha, comemos, tomamos banho. Tudo com muita paz e segurança no coração. As ondas ficaram mais intensas e as 17 horas saímos para a Casa de Parto. É óbvio que a Elisa escolheu o horário de pico pra vir! rs. Demoramos uma hora até a Casa de Parto (Sapopemba), mas isso foi ótimo pra mim. Eu escutava os relaxamentos com os fones de ouvido e consegui entrar na minha zona de relaxamento completamente. As ondas passavam, eu respirava e imaginava o colo do meu útero abrindo.

 

 

Ao chegar na Casa de Parto, fomos para a triagem. Eu tirei os fones de ouvido mas mesmo assim consegui manter o mesmo espírito calmo e seguro. A triagem foi um momento crítico pra mim. A enfermeira fez o exame de toque, mediu as ondas e nos informou: que eu ainda estava com quatro centímetros de abertura e que as ondas que eu estava sentindo ainda não eram “fortes o suficiente”. Ela achava que “nada iria acontecer nas próximas duas, três horas”. Até por isso, eu não foi internada, meramente me colocaram na sala de observação. Como minha pressão estava um pouco alta a enfermeira me pediu para ficar deitada pra tentar abaixar a pressão e ver “se iria pra frente ou não”.

 

 

Eu estava tão segura em relação ao que eu estava sentindo, tão confiante, que nada disso sequer entrou na minha cabeça. Eu sabia que a minha bebê estava vindo!

 

 

Ao chegar no quarto o Bruno (marido) instalou o abajur que tínhamos trazido e o laptop com as relaxamentos. Eu deitei na cama e fiz o que a enfermeira pediu: tentei relaxar para abaixar a pressão. Isso era mais ou menos as 19h30. Como era o horário de troca de turno na Casa de Parto, as novas enfermeiras entraram para falar com a gente. O Bruno pediu para conversarem do lado de fora do quarto e combinou com elas que iríamos chamar caso fosse preciso.

As ondas ficaram cada vez mais intensas e frequentes. O Bruno estava fazendo a massagem de toque leve e eu fiquei de olhos fechados, respirando e me focando no relaxamento… até que chegou um momento em que eu não aguentava mais ficar deitada. Me levantei e apoiei os antebraços na cama, pedindo para o Bruno de massagear o meu Cóccix/costas. Depois de mais duas ondas eu, seguindo meu instinto, me abaixei na posição de quatro apoios. Eu fiquei muito confusa quando me deu uma vontade de empurrar (a final de contas, eu estava apenas na observação?!). Realmente não tem como não empurrar e assim respirei e na onda seguinte, a bolsa rompeu. Na outra onda já senti a cabeça da bebê saindo e gritei que ela estava nascendo. As enfermeiras ouviram meu grito e entraram no quarto correndo. Elas realmente estavam tão surpresas quanto eu, quando viram que a cabeça da bebê já tinha saído; mas ficaram muito calmas e só apoiaram a cabeça da bebê para aguardar a próxima onda. E assim, a nossa pequena Elisa Sophia nasceu as 20:19. Foram 45 minutos depois de entrar no quarto e sem nenhuma dificuldade. 52 cm e 3620 g de perfeição.

 

E tudo isso só foi tão perfeito por você e o trabalho maravilhoso que você faz. O Bruno foi o melhor “gorila”, sempre mantendo a calma e protegendo nosso espaço; a equipe da Casa de Parto respeitou totalmente nosso pedido de privacidade e confiou na gente sem questionamentos.

 

 

Mas sem o conhecimento e a segurança e confiança que você passou pra nós nas poucas horas que tivemos juntos nada disso seria possível.
Viva o HypnoBirthing! 🙂

Mira, Bruno, Leah e Elisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *